logo

A guerra partidária se intensifica a poucos passos de distância. Mas no Monocle, ‘você verifica tudo isso na porta’.

Uma TV no bar mostra Ken Starr no Capitólio, falando sobre o impeachment de um presidente. Fígado e frutos do mar Louie estão no menu, e os martinis são frios.

É hora do almoço no Monocle, o restaurante que fica a poucos passos dos prédios de escritórios do Senado em uma tarde de janeiro recente, mas era uma cena que poderia facilmente ter se desenrolado décadas atrás.

O Monocle, alojado em uma casa amarela de cerca de 1885, parece brotar do estacionamento que o cerca como uma flor de uma rachadura na calçada. Ele serviu a senadores de um jovem JFK ao elenco de personagens de hoje - e ainda parece intocado pelo tempo.

Os 8 lugares favoritos de Tom Sietsema para comer agora

Em outro lugar, jantar fora em Washington pode ser um ato político. Os cortesãos e aspirantes a Trump podem perambular pelo saguão do hotel na Avenida Pensilvânia que leva seu nome. Os inimigos jurados do presidente se reúnem no hotel Eaton, que se autoproclama o quartel-general da resistência.

A história do anúncio continua abaixo do anúncio

Mas o Monocle continua sendo um oásis de civilidade, apesar de sua localização praticamente nas trincheiras da guerra partidária que se intensificou nas últimas semanas à medida que o julgamento de impeachment avança.

o que é comida de branco

Você pode dizer que é um pouco como um retrocesso, diz o ex-líder da maioria no Senado, Trent Lott (R-Miss.), Que frequentava o restaurante quando estava no Hill e ainda aparece para uma refeição ocasional. Mas do jeito que as coisas estão hoje em dia, francamente, acho que precisamos de um pequeno retrocesso. É um lugar especial.

O Monocle não é uma utopia culinária onde republicanos e democratas se divertem juntos, engajando-se no tipo de socialização cruzada cujo fim os veteranos de olhos turvos lamentam. Em vez disso, é um lugar onde pessoas de todas as tendências políticas jantam lado a lado, banco em banco de bar.

A história continua abaixo do anúncio

Brigas partidárias? Você verifica tudo isso na porta, diz o proprietário John Valanos, uma presença regular do be-suit na sala de jantar acarpetada, junto com o antigo maitre d 'Nick Selimos.

Propaganda

O almoço no mercado pode ser a única coisa na cidade que traz ambas as partes à mesa

Freqüentemente, diz Valanos, os advogados que discutem os dois lados de um caso na Suprema Corte jantam lá ao mesmo tempo, geralmente cercados por familiares e colegas. Certamente ele se dá ao trabalho de sentar as partes em cantos opostos?

Na verdade, não, ele diz com um encolher de ombros. Dependendo de quem reservar a mesa, eles podem não usar nomes que seriam uma dica. Não que isso importe, no entanto. Todos eles se conhecem, diz ele. Muitos deles são amigos.

Este é o ethos que define o Monocle.

É mais difícil apunhalar alguém pelas costas se você acabou de almoçar com ele, diz o ex-senador John Breaux, que diz que o restaurante oferece um local de baixo risco para discutir coisas com colegas. As conversas podem ser difíceis quando você está no chão, mas é muito mais fácil quando John e Nick entregam uma bebida a você.

Mais de uma dúzia de eventos de arrecadação de fundos são realizados no refeitório e em salas privadas no andar de cima todas as semanas quando o Congresso está em sessão - para candidatos de ambos os partidos. Quando as mulheres do Senado se reúnem para jantares bipartidários, às vezes reservam uma mesa privada lá.

A história do anúncio continua abaixo do anúncio

A clientela aqui é pontilhada de VIPs, embora não da variedade chamativa. Este não é um tipo de ponto de acesso para ver e ser visto. Não é o Café Milano de Georgetown, onde Jared Kushner e Ivanka Trump namoram à noite e líderes estrangeiros se reúnem com secretários de gabinete.

A celebridade estranha às vezes aparece, mas este é o tipo de lugar habitado por funcionários seniores, repórteres do congresso, advogados e lobistas que não mereceriam sequer uma menção destacada no Manual do Politico. Até mesmo avistamentos senatoriais parecem tão humanos que nem parecem dignos de notícia. Para os habitantes das colinas, isso é apenas parte do cenário.

Agora você pode comer no Capitol como um representante dos EUA: Mal

Claro, os clientes ainda esperam discrição, e Valanos e Selimos obedecem alegremente. Eles não cortejam paparazzi ou falam aos repórteres depois de uma aparição particularmente ousada e têm medo de compartilhar até mesmo as histórias mais inócuas.

A história do anúncio continua abaixo do anúncio

E assim as pessoas poderosas continuam chegando, assim como vêm desde que os pais de Valanos, as imigrantes gregas Connie e Helen Valanos, abriram as portas do restaurante em 1960. O gabinete de Obama se reuniu lá para jantares por recomendação da então secretária de Saúde e Serviços Humanos Kathleen Sebelius . Ela tinha boas lembranças de jantar lá quando era menina, quando seu pai era um congressista de Ohio na década de 1960, disse a Valanos.

A equipe mantém um estoque de calda de chocolate especialmente para Chuck Grassley, o senador de Iowa, que gosta sobre seu sorvete. Eles estocam uma granola especial da padaria local Baked & Wired ao melhor iogurte e frutas, o café da manhã preferido de Susan Collins, a senadora do Maine.

Outros restaurantes são frequentados pela multidão do Capitólio, é claro, e por uma série de cafeterias no campus, incluindo o Senate Dining Room com toalha de mesa branca. Clubes republicanos e democratas próximos, do lado da Câmara do edifício do Capitólio, cada um oferece um restaurante.

A história do anúncio continua abaixo do anúncio

Mas o Monocle, diz o ex-líder da maioria no Senado, Tom Daschle, é diferente. Ele o vê como a versão do Capitólio dos cafés que você encontrará em pequenas cidades em seu estado natal, Dakota do Sul. Sempre há aquele pequeno lugar onde todos vão tomar café, almoçar ou jantar que é o ponto de encontro da comunidade, diz ele. O Monocle sempre foi isso.

Não que a comida seja realmente o ponto aqui, mas é bom. Clássicos como bifes e salmão estão entre os favoritos dos frequentadores. E qualquer um que esteja imaginando algum tipo de clube luxuoso com painéis de madeira para almoços poderosos pode ficar desapontado. A decoração é discretamente mediana, como um belo saguão de hotel, com toalhas de mesa brancas e garçons em coletes e gravatas concordando com a tradição. Fotos - muitas em preto e branco - de membros do Congresso se alinham nas paredes. Não é este lugar glamoroso, mas é confortável, diz Daschle. Não há nada que se destaque do ponto de vista estético - é como aquele café.

Embora o Monocle possa cortejar seus frequentadores com um serviço caloroso, sua localização explica sua longevidade. Os cidadãos do Senado precisam apenas cruzar um estacionamento dos edifícios de escritórios Dirksen e Hart para chegar às suas portas. Os senadores podem facilmente ir da sala de jantar ao plenário dentro dos 15 minutos atribuídos para os votos.

A história do anúncio continua abaixo do anúncio

Quando precisar de uma pausa, você pode esgueirar-se até lá em vez de ir para a sala de jantar do Senado, diz Breaux. Eu sou da Louisiana, então sempre acho que é importante ter uma boa refeição.

E o fato de seu único vizinho ser o quartel-general da Polícia do Capitólio dá uma sensação de segurança extra em uma época em que os manifestantes abordaram clientes em restaurantes pela cidade. Pelas janelas que dão para a calçada, um desfile de policiais uniformizados e à paisana (esses fones de ouvido são o brinde) acontece diariamente.

Durante o julgamento de impeachment, a sala de jantar esteve mais silenciosa do que o normal, disse Valanos. Funcionários e senadores estão em sua maioria presos no prédio do Capitólio, onde eles estão comendo comida para viagem e lanchonete durante os curtos intervalos para o jantar.

Saber o que está no calendário do Congresso faz parte das tarefas de Valanos e Selimos. Os recessos significam que os membros do Congresso deixam a cidade, mas os funcionários e lobistas permanecem. A votação tardia pode significar uma grande noite no bar.

Ao longo das décadas, Valanos foi capaz de resistir a pelo menos uma das marés que turvaram a indústria de restaurantes em Washington: os clientes inconstantes e em busca de tendências. Sua clientela não procura alta gastronomia ou ingredientes obscuros. Quase não há rotatividade entre os funcionários, então os garçons servem os mesmos clientes há décadas.

A história do anúncio continua abaixo do anúncio

A modernização vem lentamente aqui. Valanos está planejando começar a oferecer um menu para viagem nesta primavera, um aceno para a proliferação de serviços de entrega como Grubhub e Uber Eats.

Ele mesmo está cortando a carne vermelha e sabe que muitos de seus clientes também estão, então ele está trabalhando para adicionar mais algumas opções de vegetais.

Você tem que acompanhar os tempos, diz ele. Em algumas formas.

Nota: Uma versão anterior desta história soletrava incorretamente o primeiro nome de Ivanka Trump.

Receitas: